Presidente da república quer maior responsabilidade e dedicação dos militares e uma força armada republicana

© Image Copyrights TVS
Font size:
Print

Os militares assinalaram, esta quarta-feiras o quadragésimo oitavo aniversário da institucionalização das Forças Armadas. A deposição de coroa de flores pelo presidente da república e comandante supremo das Forças Armadas no memorial do soldado Paulo Ferreira foi um dos momentos das festividades. Pelo segundo ano consecutivo, o acto central teve lugar dentro do quartel de Morro e foi presidido pelo chefe de estado. Na presença da presidente da Assembleia Nacional, primeiro-ministro e chefe do governo, os presidentes dos tribunais superiores, membros do governo e corpo diplomático, o brigadeiro general João Pedro Cravid, no seu discurso, destacou a importância desta data para as Forças Aarmadas são-tomenses. O chefe do estado maior das Forças Armadas destacou a lealdade aos órgãos de soberania e diz estar apostado no processo de reformas.
Para o presidente da república e comandante supremo das Forças Armadas, o dia de hoje exige dos militares, maior responsabilidade e dedicação. Carlos Vila Nova lembrou da pátria e destacou os valores éticos e morais da classe. Mais investimento na Guarda Costeira para combater o fenómeno da pirataria marítima, pesca ilegal, e outras praticas ilícitas que tem afetado a sub-região africana é o desafio lançado pelo presidente da república. Vila Nova também felicitou os militares no activo, na reserva e na reforma, afirmando que nutre um profundo respeito pelo papel relevante que desempenham as Forças Armadas.
O acto central também ficou marcado pelo louvor feito pelo brigadeiro general aos oficiais, sargentes e praças que repeliram com elevada capacidade de resiliência e espírito de sacrifício os subversores á ordem constitucional de 25 de novembro do ano transato. Desfil militar encerrou as actividades comemorativas de 6 de Setembro de 2023.

Comentário